#NovembroAzul

#NovembroAzul

CUIDADO!

NEM TODO PRODUTO DIET OU LIGHT PODE SER CONSUMIDO POR DIABÉTICOS. PRESTE ATENÇÃO NOS RÓTULOS E VERIFIQUE SE, DE FATO, O PRODUTO NÃO CONTÉM AÇÚCAR OU GORDURA EM EXCESSO.

27 de jul de 2011

Victoza - Novo medicamento para tratamento da Diabetes tipo 2



A Novo Nordisk prepara-se para o lançamento de Victoza® (liraglutida)no Brasil, primeiro análogo de GLP-1de dose única diária. Esta nova classe terapêutica representa uma revolução no tratamento do diabetes tipo 2, pois, conforme demonstrado em estudos clínicos, além decontrolar o açúcar no sangue,liraglutida promoveu a diminuição do peso e da pressão arterial sistólica dos pacientes com diabetes tipo 2 que receberam o medicamento.

23 de jul de 2011

Diabéticos treinados para cuidar de si próprios tem menos riscos de sofrer complicações

"O autocuidado é a chave para prevenir o diabetes tipo 2 e para melhorar a qualidade de vida de quem já tem o problema". (Leia na íntegra a matéria publicada na página  do Hospital Albert Eisntein.)

21 de jul de 2011

Lançamento do Livro "O Futuro do Diabete"

Em parceria com a Editora Abril e dentro do projeto da Revista Saúde - "Emagrece, Brasil! lançado no dia 17/06/2011, o Dr. Carlos Eduardo Barra Couri, PhD em Endocrinologia, publicará o livro "O futuro do Diabete". O lançamento ocorrerá no próximo dia 30/07/11, em Ribeirão Preto, na livraria Para Ler no Ribeirão Shopping, e será distribuído para bancas e livrarias de todo o Brasil após o lançamento.

O livro "O Futuro do Diabete", tem por objetivo mostrar e explorar os conceitos atuais do tratamento e dar uma pitada no que está por vir em termos de tecnologias, novas vias de aplicação de insulina e novas biologias em prol do paciente diabético.

"É bom deixar claro: este livro definitivamente não é para aqueles que negam o diabetes e que querem se livrar dele a qualquer custo". (Dr. Carlos Eduardo Couri) 



Dr Carlos Eduardo Barra Couri, PhD: Lançamento do Livro "O Futuro do Diabete"

9 de jul de 2011

PÃO FRANCÊS PARA DIABÉTICOS

Essa notícia me deixou super, hiper, mega, blaster, pop, power feliz!!! É sério. Quem não gosta de um francesinho com manteiga, logo pela manhã ou a qualquer hora do dia? Eu amoooo, mas não como. Antes do diabetes tinha preguiça de ir à padaria logo pela manhã, e, depois do diabetes deixei de comer por entender que é um perigo para o aumento da taxa glicêmica. Às vezes, quando encontro, até troco pela versão integral, mas são raras as padarias que fazem e, para dizer a verdade, fico desconfiada se realmente são o que dizem ser. Por isso fiquei muito feliz com a notícia que encontrei no Portal Diabetes. Mais felizes devem estar os diabéticos de Maringá/PR. Na próxima vez que estiver por lá, vou provar. Ou então vou pedir à minha irmã que me traga quando vier para cá.


A matéria foi escrita por Fábio Guillen, no Gazeta Maringá, em 18/06/2010. 


O pão para diabéticos produzido pela pesquisadora Carla Manfrinato de Maringá foi reconhecido como alimento funcional pela Anvisa.
O produto é feito com uma fibra importada que inibe o aumento do nível de açúcar no sangue. Novidade, cujo preço é inferior ao do pão convencional, já está à venda e deve se popularizar.
O tradicional pão francês agora pode ser consumido também por diabéticos, que, até então, dependiam de pães integrais, que possuem mais fibras e não aumentam o nível de açúcar no sangue. A nutricionista, professora universitária e pesquisadora de Maringá, Carla Manfrinato, conseguiu desenvolver um pão especial para esse público.
A receita foi patenteada no final de 2010 e o produto foi reconhecido como alimento funcional pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa). “Minha ideia foi desenvolver um produto que ajude essas pessoas a ter uma vida mais saudável. Percebi que os diabéticos tinham vontade de consumir o pão francês, mas não podiam", diz a pesquisadora.
Os ingredientes do pão especial para diabéticos são os mesmos do pão francês convencional, como farinha de trigo branca e fermento. O segredo está em uma fibra especial importada da Bélgica (cujo nome não pode ser revelado, para que seja preservado o segredo de patente) que ajuda a controlar o nível de açúcar no sangue e não altera o sabor do pão.
Essa fibra auxilia no controle da glicose sanguínea e, por isso, pode ser consumida por diabéticos, sem problema algum. Foram sete meses procurando essa fibra, que é natural”, explica Carla.
O pão é bem parecido com o pão francês convencional. As diferenças estão na coloração, que é mais branca; e no miolo, que é mais duro que o tradicional. O produto também pode ser consumido por quem não tem a doença. “Os benefícios para quem não tem diabetes também são interessantes, como a perda de peso, com a ajuda das fibras”.
Após dois anos de pesquisa, Carla Manfrinato enviou a pesquisa e as conclusões para um laboratório alimentício da Bélgica, que comprovou a eficácia dos resultados obtidos. A fabricação do produto foi autorizada pela Anvisa em todo o Paraná.

Pesquisadora pretende vender a mistura para padarias
A pesquisadora conseguiu autorização da Anvisa para vender também a mistura pronta para padarias e supermercados de Maringá. Com a mistura, o pão francês especial para diabéticos estará em todas as padarias da cidade que se interessarem pelo produto.
“Tenho a mistura pronta e a autorização para vender, mas preciso comprar alguns equipamentos para a comercialização. Como são equipamentos caros, ainda não sei quando vou começar a distribuir a mistura”, esclarece Carla.

Pão desperta curiosidade nos diabéticos de Maringá

A presidente da Associação dos Diabéticos de Maringá (Adim), Vercilene Rossi, conta que várias pessoas da entidade conheceram e elogiaram o produto. “É uma descoberta muito importante para as pessoas que tem o diabetes, porque, atualmente essas pessoas comem apenas o pão integral, que pode enjoar, com o tempo”.

Pão francês é um vilão para diabéticos
A epidemiologista e professora da Faculdade de Medicina da Universidade Federal do Rio Grande do Sul(UFRGSMaria Inês Schmidt disse, em entrevista recente à Gazeta do Povo, que o pão francês possui poucas fibras e mais carboidratos, o que se torna um perigo para os diabéticos.
“Não só o açúcar é perigoso. Alimentos processados, com menos fibras e mais carboidratos, como o pão e o arroz branco, e as gorduras, quando consumidas em excesso se tornam vilões da doença.”

Serviço
O pão francês especial para diabéticos pode ser degustado e comprado por R$ 5, o quilo, em Maringá, na Manfrinato Alimentos Especiais, que fica na Avenida Paranaguá, na Zona 7.



RECEITA DE ARROZ DE FORNO COM BERINJELA


Foto:  Receitinhas
Ingredientes:

200 gramas de arroz integral
500 gramas de tomate em rodelas
2 berinjelas cortadas em rodelas
2 dentes de alho amassados
2 cebolas em rodelas
Suco de limão


Modo de Prepraro:

Numa travessa, intercalar camadas de arroz, berinjelas-tomate, cebola-alho, até acabar os ingredientes. Levar ao forno médio para alto por 30 minutos e servir. Cozinhar o arroz integral em água e sal durante 40 minutos e escorrer. Em uma frigideira antiaderente, refoqar a cebola e o alho amassado durante alguns minutos no suco de limão. Temperar com sal, pimenta-do-reino e tomilho a gosto, a berinjela e o tomate e refogar em uma frigideira com tampa. 


Juntos pelo Diabetes

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...